Protector Solar Químico vs Físico | QUAL O MELHOR?

Eliana, o que é que esta foto tem a ver com o post? – vocês perguntam. Não sei, meus amigos. Simplesmente não tinha uma foto melhor e aqui conseguem ver o quão perfeita eu sou para servir de reflector!

Por ser branca como o cal, a protecção solar sempre foi algo que tive muita atenção. Ou melhor, desde que comecei a ir ao dermatologista e ele me receitou usar protector solar facial, uso-o quase religiosamente, até mesmo no Inverno e para o trabalho. Ao contrário do que muita gente pensa, não  são só os raios UV que danificam a pele – apesar de serem dos que mais prejudicam – as luzes usadas em casa também emitem radiações que, a longo prazo, agridem a nossa pele.

No entanto, nunca fui muito de pesquisar sobre qual usava. Fazia a mesma pesquisa, obviamente, mas se visse que não me punha a pele mais oleosa nem me fizesse ter um ataque de acne, tudo bem. Mas a verdade é que nunca encontrei O protector solar. Fazia efeito, mas nunca me apaixonei. Ok! É protector solar, acho que  menos que faça muito mal, os efeitos não serão nada de especial.

Mas recentemente comecei a ouvir falar de protectores químicos e físicos, as suas diferenças e efeitos na pele e a minha reacção foi: wooow. Não fazia ideia.
Embora a protecção seja o mais importante – e nisso ambos cumpram -, a verdade é que nem todos são o melhor para a nossa pele.

// Químicos Dos mais usados. Normalmente têm uma textura mais leve e líquida e, dependendo da fórmula, até podem servir como primer de maquilhaghem. No entanto, podem não ser os melhores amigos da pele, especialmente quem tem acne.

Funcionam ao absorver os raios solares e são muitas vezes chamados de protectores orgânicos. Os ingredientes mais comuns – que servem de filtros UV – são Octylcrylene, Avobenzone, Octinoxate, Octisalate, Oxybenzone, Homosalate, Helioplex, 4-MBC, Mexoryl SX & XL, Tinosorb S & M, Uvinul T150 e Uvinul A Plus.

Um dos grandes problemas em relação aos químicos é que podem ser um pouco instáveis, especialmente em relação a alguns ingredientes.

Em relação aos efeitos na pele, estes tendem a ser mais irritantes na pele, e por isso, peles sensíveis não se dão tão bem. Além disso, alguns podem causar também reacções alérgicas.

No entanto, geralmente oferecem mais cobertura em relação aos filtros UVA e UVB do que os físicos.

// Físicos Em inglês são conhecidos por sunblock, porque realmente fazem isso. Bloqueiam e “reflectem” os raios solares da nossa pele.

Os ingredientes mais comum são o Titanium Dioxide (TiO2) e Zinc Oxide (ZnO). Em relação a estes ingredientes, caso tenham acne talvez queiram manter-se afastados do Titanium Dioxide, já que é mais comodogénico. No entanto, ZnO não tem qualquer problema. É, inclusive, um dos principais ingredientes nos cremes para assaduras de bebés.

A sua protecção também varia dos seus compostos. TiO2 protege contra os raios UVB, mas não totalmente contra Uva. Já o ZnO abrange o espectro completo de ambos.

A sua textura é que pode não agradar a todos. Geralmente é mais grosso e opaco e tende a deixar white cast. Sai mais facilmente e por isso deve ser aplicado mais vezes. No entanto, ao contrário do químico que só começa a fazer efeito uns 20 min após aplicação, este actua imediatamente.

Na minha opinião, os físicos apresentam maiores benefícios e são, sem dúvida, os que quero começar a usar. No entanto está a ser bem complicado encontrar um por cá, principalmente que não custe um rim e que tenha pouco TiO2 – ou nenhum. Sugestões aceitam-se!

Follow me on Instagram @elianarssilva and on snapchat elianasilva

Share: