Não sei quanto a vocês, mas há poucas coisas que eu gosto mais do que estar em casa sem fazer nada a não ser devorar uma boa série. Consigo ser bastante prodigiosa no número de episódios que sou capaz de ver num único dia. Com a falta de tempo que tenho tido ultimamente, os episódios têm-se acumulado um bocado, mas nem por isso a vontade de ver novas séries passa. 

Há várias que tenho imensa vontade de ver, mas há quatro que têm falado mais alto ultimamente.

 

BIG LITTLE LIES

Já comecei a ver esta série – se não me engano vi o primeiro episódio – mas por alguma razão que não vos consigo dizer qual, ficou parada. A verdade é que gostei bastante e quero continuar a ver. Para começar, o elenco é de peso: Nicole Kidman, Reese Witherspoon e Shailene Woodley. As personagens delas tornam-se amigas porque os seus filhos começam a estudar na mesma escola. Tudo parece perfeito, vidas óptimas (excepto a da Shailene que é a menos “abastada”), mas bem normais, no entanto isso é mesmo o que parece. Na realidade as coisas não são bem assim e até já podemos ver alguns indícios no primeiro episódio. Do que já li, há de tudo; segredos, reviravoltas, traições, mortes… Há receita melhor? Além do mais foi uma das grandes vencedoras dos Golden Globes, o que só pode dizer coisas boas!

THE SINNER

É uma série original Netflix que conta com a Jessica Biel no papel principal. Não ouvi muita gente a falar sobre ela, mas o que vi já me chegou para abrir a curiosidade. A série conta história da Cora que é, aparentemente, uma pessoa como outra qualquer. Pelo menos até ao dia em que ela mata uma pessoa em público, mas sem razão aparente. Nem mesmo ela sabe. A partir daí, vemos a procura por esse motivo e vamos conhecendo melhor a Cora, desde a sua infância, aos traumas… Tudo o que a possa ter levado a cometer o crime. 

HANDMAID’S TALE

Arrisco-me a dizer que é a série do momento e outra as grandes vencedoras dos Golden Globes. A história passa-se num futuro não muito longínquo, onde as taxas de fertilidade estão a cair a pique em todo o mundo. No meio disso tudo, há um território – Gileade – que está em guerra civil e cujos líderes só vêem o poder à frente e acham que para isso precisam de um regime novo em que uma das características principais é ser organizado por castas sociais e onde as mulheres são basicamente propriedade deles, sem direito a nada. Com tudo isso e a infertilidade a escalar, eles decidem que as poucas mulheres férteis de Gileade vão “servir” aos mais poderosos e serem escravas sexuais com o propósito de procriar e continuar a linhagem dos casais mais poderosos. Se isto não vos dá vontade de ver, não sei o que dará!


RUNAWAYS

Finalmente, uma série mais leve e aquela que eu tenho acompanhado. É uma série da família Marvel e por isso remete a um mundo mais de super-herois e de poderes. No entanto, esta série não está carregada disso. Tem alguma fantasia, sim, mas também tem muita ciência que ajuda a explicar algumas coisas. A série conta a história de 6 adolescentes que eram amigos mas que, depois de um acontecimento mais traumático, se afastam. Uns anos depois, voltam a juntar-se e descobrem que a vida que sempre tiveram, estava envolta de muitas mentiras e coisas bem perigosas, que os vão fazer virar-se contra os próprios pais.
Não é aquela série profunda que vos vai pôr a pensar na vida, mas tem-se tornado numa das minhas favoritas ultimamente, especialmente quando quer algo mais leve. Vejam que vão gostar, especialmente se gostam destes universos “alternativos”.

 

Séries nunca são demais, certo? Alguma sugestão vossa?

Follow me on Instagram @elianarssilva and on snapchat elianasilva

Seguir: